terça-feira, 13 de janeiro de 2009

Resumindo: DICAS

O Leo Caetano, do mochileiros.com, pediu para eu postar no fórum dicas resumidas para quem quiser se aventurar por aquelas bandas. Então aí vai:

- Se a idéia é ir de barco tente fazer alguns contatos antes, pois lá é dificil de arrnajar. Vc pode dar o azar de um pescador ter acabado de sair, por exemplo.

- Pelo interior é fácil achar hotel por R$10 ou R15 reais. Mas lembre-se que a região é pouco visitada por turistas então o serviço não é lá grandes coisas.

- O desejo é conhecer Sobradinho? Vá durante a semana. Parece que tem visitas guiadas de segunda a sexta. E é longe da cidade (leia-se longe para ir a pé), melhor pegar um moto taxi. Mas não os deixe esperando, se não é mais caro... pegue o telefone e ligue quando desejar ir emmbora. Acertar antes o preço também é uma boa idéia.

- Em Petrolina, como a cidade é maior (tem até aeroporto!) a diária do hotel é mais carinha. Mas ainda estamos no interior do Nordeste: a Pizza com coca-cola para 4 pessoas na orla foi R$20 reais, o cinema era 5 reais com pipoca e refrigerante! Em alguns hotéis você encontra um guia da cidade muito útil com os muses, ônibus, horários e etc.

- A usina de Paulo Afonso é menos conehcida mas é linda e vale a pena a visitada. Lá já há uma infra-estrutura turistica melhorzinha do que em Sobradinho.

Dicas gerais para quem quer viajar para o sertão:

- Beba MUITA água. o ar é seco mesmo. Uma garrafa de 1,5L custa em média R$1,50. Ou seja, se esquecer compre uma na esquina.
- Use filtro solar e roupas leves para andar.
- Optamos em lavar as roupas no banho e levamos, por tanto: corda, pregador e sabão de coco para isso. Assim pudemos ficar mais tempo, levando menos peso.

segunda-feira, 11 de fevereiro de 2008

Espelho D'água

é o título de um filme que se passa no Rio São Francisco. A história é um fotógrafo que está tirando fotos da área para montar um livro.
Acabei de assistir e fiquei com um apertozinho no coração. Resolvi transcrever aqui dois trechos do filme.

"- Eu não consegui sair do rio. Machucado, sem saber aonde eu estava, eu só conseguia pensar em uma coisa: a gnete não tem tempo. A gente passa e a vida fica."

"- Na vida, nesse mundo, tudo fala com a gente. Os pássaros, as árvores, os santos e você precisa aprender a escutar uma vozinha que mora lá dentro pra entender o que tá se passando. às vezes a gente é que nem o rio: se atira no mar, pra ganher o mundo. Dia após dia.
-Abel me disse que as águas do rio são que nem as horas: quando passa nunca mais volta.
-É verdade, mas não é só as águas do rio que passam e nunca mais voltam. Eu já vi tanta coisa na minha vida passar e nunca mais voltar...
-O que vó?
-As vapor, as cheias,..."

Vale a pena assistir.

sábado, 9 de fevereiro de 2008

A volta para casa

foi um dilema.
Demoramos para querer voltar. Quando decidimos arrumar as malas deu aquele apertozinho do coração, as lembranças na cabeça e a vontade de ficar.
A primeira coisa que dissemos no Rio foi: e agora? para onde vamos?
Estar na estrada é encantador. Ter que procurar um lugar para ir, ou para ficar. Conhecer o que antes era desconhecido, ter sempre um novidade virando a esquina.
Voltar para o Rio é mio assustador. A gente se dá conta de como vivemos numa redoma de vidro. Estamos sempre nos mesmos lugares com as mesmas pessoas e não temos noção so tamanho do Brasil, ou do mundo. Não sabemos quantas pessoas legais existem por aí.
E principalmente como os nossos problemas são pequenos.

Cheguei em casa de surpresa a mamãe tava no quarto arrumando umas coisas e levou um susto. Fomos pra vovó almoçar... ai comida de vó. Depois fui direto pra casa do zé trocar figurinhas das viagens. Lili e Helio (dois dos três amigos paulistas) tavam lá e ficamos conversando um pouco. Voltei pra casa para dormir um pouco.
Eu não tinha noção de como a minha cama é confortável!
Fui encontrar os amigos de são paulo na Farani e encotnrei a Bel e o Vitinhot ambém. Mais figurinhas trocadas, dessa vez internacionais: os dois foram para a Argentina. Ficamos um tempão conversando. Voltei pra casa do Zé e fiquei mostrando as fotos da viagem... contando histórias. Acabou ficando tarde de mais e me encostei por lá.
Sábado fomos para uma festa do Alto da Boa Vista e mais reencontros. Di, Clara, Aline, Cadinho, Ilan... muita saudade de todos.
Ainda falta muita gente para ver mas como ainda tenho duas ou três semanas de férias...=)

Tudo que vi é muito familiar. Mas ainda causam estranhesa. São muitos carros, muitos prédios, muita gente de mais.

Itaúnas - ES

Depois de uma longa viagem e desce-sobe de ônibus, incluindo nuvens negras e uma chuva que deixou a estrada elameada, chegamos à vila de Itaúnas.
A vila é bem pequena mas estava bem cheia devido ao carnaval (chegamos lá segunda-feira de carnaval). Procuramos um camping para nos instalarmos. Mas achamos todos ou muito cheios, ou muito perto do centro, ou muito sem segurança... refletimos que seria complicado acampar numa barraca de 4 pessoas nós 3 mais nossas 3 mochilas. Mas, não tinhamos grana para uma pousada.
Arriscamos e perguntamos o preço de uma. Pechinchando conseguimos por quase metade do preço. Pronto:água quente, cama e espaço por praticamente o mesmo preço do camping.
Nesse primeiro dia, como ainda tava chuvendo e nós com muito sono apenas dormimos.
Na manhã de treça-feira acordamos, tomamos café e... dormimos. É viajar cansa mesmo.
A tarde fomos à praia. Quer dizer, eu e Cecilia né.. o Miguel ficou dormindo mais um pouco.
A praia lá é linda.




Um pouco longe da vila mas dá para ir andando tranquilamente.
Itaúnas é uma reserva florestal. Tem rio, mangue, dunas e praia. O mar é meio esquisito, mexido de mais.
Depois de um tempão conseguimos encontrar o Miguel. Ficamos um pouco mais e voltamos pra vila. A noite saimos mas o forró tava muito caro e não entramos.
Quarta-feira o Miguel teve que ir na cidade vizinha buscar dinheiro enquanto eu e Cecilia dormiamos. Depois fomos todos a praia e decidimos voltar pra casa.
Já estávamos num perrengue de dinheiro (que logo se resolveu) e a proximidade de casa fez a saudade aumentar. Além disso 3 amigos meus de São Paulo tavam no Rio e eu queria vê-los.
Para nos despedir da viagem ficamos horas tirando fotos nas dunas.



Quando decidimos ir embora, deu vontade de ficar. A noite: forró. Muito bom dançar forró embaixo nas estrelas. =)

No dia senguinte foi a correria. aquele trajeto todo de novo: Itaúnas-Conseição da Barra, Conseição da Barra-São Mateus, São Mateus-Rio. Porém, devido a volta do carnaval estava tudo lotado ou com poucas vagas.
O ônibus que conseguimos pegar vinha de Natal e passava no Ponto de Apoio da São Geraldo de São Mateus. Mas ele só passava as 21h, sujeito a atrazo e o maldito ônibus só chegou às 22h. Depois de horas vendo novela no ponto de apoio, pegamos o caminho pro Rio.

segunda-feira, 4 de fevereiro de 2008

Pela estrada afora...

Devido a uma informação errada estamos (quase) enrrolados a caminho de Itaúnas.

Primeira viagem: Salvador - Teixeira de Freitas.
Pra começar a ida para a Rodoviária já foi uma viagem. Nós três resolvemos virar a noite pq o ônibus era as 5:30 na manhã e não valia a pena dormir e acordar essa hora. Principalmente por que era dia de Iemanjá e tava tendo festa.
Então depois de nos depedirmos de Laurinha, Quel, Bruninho, Lua, Mari e Marcos com o coração na mão fomos para a casa arrumar as coisas para a viagem. Cansados depois de tudo pronto resolvemos dar uma deitada, acordar as 4:30 e estaria tudo certo.
Se nós tivessemos acordado na hora. A cecilia acordou a gente as pessas 5:17. Voando pelas ruas até conseguir um taxi (as 5:30) que nos levou para a saída de ônibus onde pegamos o nosso ônibus na porta de saída.
Com toda essa adrenalina demoramos a dormir.
Chegamos em Teixeira de freitas (que Deus sabe por que eu só conseguia chamar de São Felix) de noite já... Achamos melhor dormir por lá mesmo. Comemor um lanche e acordamos hoje cedinho.
Pegamos o ônibus para São Mateus (onde estamos agora), almoçamos aqui.
Agora 1:30 iremos para um outra cidade para de lá pegarmos outro ônibus para Itaúnas.
E da-lhe estrada.

São quase 70 horas de estrada no total. ufa.

sábado, 2 de fevereiro de 2008

Carnaval em Salvador

Quinta-feira de Carnaval e nós em Salvador.
Como não tinhamos abadá nem dinheiro para comprar um lá fomos nós, tentar, ir no bloco da Margareth Menezes, Os mascarados. Nesse bloco não precisa de abadá, é só ir fantasiado.
Eu e Miguel fomos encontrar a Cecilia que já estava lá por perto. Descansamos uma pouco no subway que tinha perto. Resolvemos ir para perto da muvuca. Foi chegando o trio da Ivete e o empurra-empurra. Uns caras começaram a empurrar a gente e nos separamos. O Miguel ficou tentando tomar conta do bolso que tinha o celular e um cara meteu mesmo a mão no bolso dele, mas não levou o celular.
Voltamos pra casa meio assustados ainda. Chegando no prédio a piscina olhou pra gente, e nós pra ela... acabamos caíndo. Depois fizemos um brigadeiro e distraimos a idéia.

Sexta-feira de carnaval saiu o Expresso 2222 que é o trio independente do Gil (isso significa que não tem corda, nem abadá). Ontem eram ele, Lulu Santos e Jorge Ben.
Não queria sair com aquela imagem do carnaval... eu e Mig nos aventuramos de novo.
E o saldo? Super positivo!
Quando chegamos no circuito (Barra-Ondina) tava passando a Ivete. Ficamos parados numa rua vendo o trio dela passar e ela deu tchauzinho pra onde nós estávamos. hahahhaha
Depois corremos atrás do Expresso! Eu e miguel quando conseguimos chegar pulávamos que nem criança de tão empolgados! Espaço para dançar, animado e o Gil comandando um frevo danado de bom. Depois entrou o Lulu e tb a mesma empolgação, Jorge Bem, igual.
O trio quando passava perto das ruas enchia mais e tinha até empurra-empurra mas nada que afetasse a nossa empolgação.
Quando passou na frente do camarote do Expresso o Trio parou. Lá estávam varios artistas entre eles Regina Case, Preta Gil, Cauã Reimon , outros atores que não sabemos os nomes e Caetano. Presencimos um diálogo ótimo, que merece ser reproduzido:
"-Caetano querido ainda não tinha te visto! Todo de rosa que nem a minha guitarra, que nem a guitarra do Jorge Bem..." (Gil naquele mais gostoso sutaque baiano)
"E que nem a minha alma!" (Lulu Santos querendo entrar no jogo)
aaaah! muito bom!
A melhor parte foi quando o trio subiu a ladeira do cristo pq aí tinha só uma galera legal dançando, músicas bacanas... =DDD

Hoje, dia de Iemanjá, vai ter festa no mar. No bairro do Rio Vermelho saem barcos com oferendas e mais tarde vão ter vários shows.
Depois dos show embarcaremos para Itaúnas, Norte do ES.
De lá, se der escreveri de novo. Se não, caros leitores, só no Rio.

quarta-feira, 30 de janeiro de 2008

Salvador - BA (2)

Resolvi criar um novo tópico pois estamos a um bom tempo em Salvador e aquele tava muito cheio já.
Segunda feira a Laurinha começou a ter aula na faculdade, então domingo saimos com as amigas dela. Lua e Marina.





Que por incrível que pareça, são Baianas.


Elas nos levaram pra ver o pôr-do-sol num lugar chamado ponta do Humaitá. Lá tem um farol e uns restaurantes. Claro que rolou aquela piada classica de que o Mig estava em Casa. =P
Depois fomos tomar sorvete na Sorveteria da Ribeira que é super famosa por aqui. O lugar já recebeu diversos prêmios e foi eleito o melhor sorvete da cidade. Não pela gente, claro, apesar de ter sido aprovado. Beeem aprovado.
No caminho passamos pela Igreja do Bomfim. Tava quase fechando mas conseguimos dar um entrada rápida e tirar algumas fotos na porta.





Depois fomos assistir uma peça. Nada legal... besteirol total, várias piadas sem graça além dos atores rirem do meio da cena e esquecerem o texto. =/
De lá fomos para o Rio Vermelho. Que é um bairro que tem várias praças e barzinhos. Comemos acarajé! (no meu caso sem camarão) Muito bom!
As menins nos deixaram aqui na casa de Lau.

Ontem saiu o resultado da UFBA e um dos meninos que conhecemos aqui, o Marcos, passou para Medicina. Saímos com ele e a galera que conhecemos para comemorar. Aproveitei para comemorar pelos meus amigos que também passaram. =)
Aqui tem o costume de raspa a cabeça da galera que passou. Então no bar que estávamos tinham váarios carecas. Além do Marcos e do irmão dele, que também tinha passado, estarem com os cabelos mal cortados pois os amigos tinham cortado algumas mechas. O Marcos acabou a noite com o cabelo estido Fabio Jr. nos anos 80.

Hoje, depois de muitos atrasos e um mergulho na piscina fomos para o Pelourinho de dia. Porém pegamos o ônibus errado e acabamos dando uma volta gigantesca na cidade. Conseguimos saltar do ônibus era quase pôr do sol. Mas ainda sil conseguimos tirar fotos de lá:


Elevador Lacerda








Na saída do Elevador Lacerda tem uma sorveteria chmada Cubana. Lá tem tipo um sunday chamado Dusty Miller. Leva sorvete, calda de chocolate e leite em pó.
Delicioso!






Depois do sorvete fomos circular pelo Pelourinho. Em cada esquina tinha alguma coisa acontecendo. Em uma mesma praça tinha um grupo de dança afro e outro dançando hip-hop. Vários grupos de percussão. Um só de mulheres, outro de crinças, e etc. O Olodum estava se apresentando mas era em lugar fechado e tinha que pagar 50 reais. Ficamos pelas ruas mesmo procurando um show que tinham indicado para a gente.
Derrepente nos deparamos com um grupo diferente. Era uma galera de uma oficina de percussão. Da última vez que tínhamos ido ao pelourinho entramos na loja deles, fuchicamos e tal. Hoje tava mó galerona lá na porta. E não era só percussão não. Tinha sax, flauta, fora os instrumentos de percussão diferentes. Ficamos horas lá vendo os caras tocando... de arrepir.
Fizemos dois videos até, óia:


video

terça-feira, 22 de janeiro de 2008

Salvador - BA

Estamos em Salvador na casa de uns amigos da Bete e do Fred. Como os dois estão viajando estamos com a filha deles, Laurinha que tem mais ou menos a nossa idade. Acabamos chegando muito cedo (5h da manhã) e não tivemos coragem de acorda-la, então ficamos fazendo hora, comendo na padaria e nos alongando na praça aqui perto.



Umas 7:30 ligamos para ela e chegamos. Ficamos horas contando as histórias da viagem.

Como foi estranho voltar para a cidade grande. Ainda por cima por não ser a "nossa" cidade grande. Muitos carros passando, e passando rápido. Trânsito, sinais, muita gente, perigo de ser assaltado. Mc donald, pizza hut e cia. Muito, muito estranho.

Fomos hoje no mercado modelo e no elevador Lacerda. Mas a maquina tava descarregada, então por enquanto nada de foto de Salvador. Conhecemos também a antiga prefeitura e comemos um sorvete por lá mesmo. Amanhã devemos ir na praia do Forte.
E a bateria da máquina já tá carregando.





Hoje, dia 23, acordamos muito bem. Noite como a passada tinha muito tempo que não tinhamos. heheheh
Fomo para a Praia do forte. Mas antes passamos na casa de uma amiga da Laurinha onde estavam outros amigos dela. Foi divertido, ficamos na piscina conversando, etc.


Essa aí com a gente é a Laurinha




Nos tocamos que estamos em outra viagem agora. Com piscina, coqueiros, carro, box no chuveiro, contas de mais de 30 reias e principalmente máquina de lavar roupas!
A galera dela é bom legal. Lembrei dos meus amigos. Uma faz moda, a outra pisicologia, o outro publicidade, a outra artes e a Laurinha jornalismo. Amigos, vcs se reconhecem? hehehhe
Depois de lá almoçamos num restaurante bacana com o pai da Cecilia. Ele veio pra cá com a esposa e o filho, que se chama Miguel. Mas como tudo foi atrazando mal ficamos na praia do forte. Nem deu pra ver o projeto das tartarugas, Dê.
Só conseguimos dar uma mergulho no mar. E que saudade que távamos da água salgada! hehehehe






26 de janeiro de 2008
Desculpem a falta de atualizações, caros leitores. Estou fazendo atualizações neste mesmo post pois neste blog há um post por cidade que passamos. Como estamos alguns dias em Salvador atulizo este post.

Ontem (dia 25) fiz o almoço da galera. Strogonof de frango. As menins fizeram o arroz, o Mig comprou a coca e eu fiz o strogonof. Ficou uma delícia:





Depois encontramos com o Jr. Se descerem mais um pouquinho vão ver quem é. Ele é mototaxi em Paulo Afonso e nos levou lá na Usina. Acabou vindo para Salvador com a gente fazer uma prova para a polícia estadual. A prova foi terça feira e ele não passou. Ficamos super tristes pq era o sonho dele se tornar policial. Mas na quarta ele teve uma segunda chance e passou! Vibramos muito pelo telefone com ele. Como ontem era dia dele voltar pra Paulo afonso o encontramos rapidinho para nos despedir.
Ele é um cara 10 que merece tudo de bom. Nos apegamos muito a ele, e ele a nós. Na hora de se despedir na rodoviária foi uma aperto só. Muita sorte pra ele. =)





Saindo da rodoviária fomos tomar um sorvete no Iguatemi que é aqui perto. Acabamos tirando uma foto 3x4 dos 3. ó:





Voltamos pra casa e... bloco! Primeira vez no "carnaval" da Bahia. Entre aspas pq não foi um carnaval típico de Salvador, apesar de ser em frente ao farol da Barra. Era um bloco, como os do Rio, com bateria e a galera seguindo. Fomos pra lá com uns amigos da Laurinha. Todo figuraças. Pra ter uma idéia olha os apelidos: fulano, cascão e manteiga. Esse eram três só. Estávamos em 13. Encontramos também o Cinelli coma namorada e uma amiga da Cecilia com uma galera. Eles estavam em um congresso de química e foram nos encontrar lá. Nos divertimos muito com as marchinhas até o sol raiar. Literalmente.




Obviamente hoje acordamos as 3h da tarde. Estamos afora fazendo o almoço pra tentar pegar o pôr do sol no MAM daqui. depois tem um show de jazz lá que vamos assistir.



P.S. Tem fotos no álbum do picassa. O link tá do lado esquerdo.

Usinas de Paulo Afonso - BA/AL

Segunda feira fomos visitar as Usinas da Paulo Afonso. Combinamos 10h da manhã com os moto-taxis. Francisco, Junior e Um cara que não falava nos buscaram na pousada e fomos para as Usinas. O Jr é filho de um cara que trabalha lá e por tanto conseguiu acesso. O outro cara que eu falei no outro post é o Nivaldo que nos guiou lá dentro. O Francisco tava sem documento e por tanto não pode entrar com a moto.
Visitamos as Usinas por dentro. Através de um túnel chegamos a sala de máquinas onde estava tendo manutenção.







Andamos em um bondinho micro por cima do Rio. Chegamos até Alagoas e voltamos. E o negócio balançou, viu? e as caras de medo? Mas a vista... essa vale a pena.



Sombra no rio do bondinho que estávamos









Saímos das Usinas P1, P2 e P3 e fomos até a P4 onde dava pra mergulhar. Aí foi festa, né? O Francisco e o Junior até mergulharam também. Depois de lá fomos pra Prainha acabar de aproveitar o Rio e nos despedir.
Voltamos pra pousada, pegamos as nossas coisas e fomos para o centro da cidade comer algo antes de viajar. Ligamos para o Francisco ir nos buscar. O Nivaldo tava com o pneu furado e o Junior ia para Salvador também, então nenhum dos dois, que nos ajudaramt tanto, poderiam nos levar. Mandamos mensagem no celular agradecendo o carinho e fomos jantar. O Francisco levou a noiva dele pra gente conhecer, moça bonita, disseram que vão casarem fevereiro e que da próxima vez que fomos a Paulo Afonso poderemos ficar na casa deles. Fofos. =)
Acabamos de comer e fomos para a Rodoviária. Depois de andar muito conseguimos chegar a tempo de pegar o ônibus das 21h para Salvador. Quando estou arrumando umas coisas na mala escuto: "Vocês acharam que iam se livrar fácil de mim é? Vão não." naquele mais carregado sutaque baiano. Era o Junior que como não tinha conseguido carona ia pra Salvador no mesmo ônibus que a gente. Eu, ele e Cecilia passamos boa parte da viagem conversando.
Agora: Em Salvador.

domingo, 20 de janeiro de 2008

Paulo Afonso - BA

Pegamos o ônibus para Paulo Afonso na noite de sábado de Petrolina. Quegamos na cidade as 3h da manhã. E isso se torna um problema quando não se tem uma pousada, ou um lugar pra ficar.
Mortos de cansaço resolvemos ir procurar uma pousdada só para passar a noite. Chegamos atá uma, com um bom preço mas tava lotada. Chegamos em outra pousada e... cara de mais. Pegamos cada um um moto taxi (detalhe: com as mochilas nas costas) e seguimos atrás de uma pousada. Todas lotas. Quase desesperados achamos um. Péssima. mas com tanto sono foi aquela mesmo. O quarto não tinha janela, o banheiro não tinha porta mas precisávamos dormir.
Na manhã de hoje conseguimos uma melhor na qual estamos hospedados. Fomos hoje também na Prainha que tem aqui. Uma mini enseada no Rio onde tem vários bares e restaurantes.




Almoçamos por lá um filé tilápia. Me toquei de que tem quase uma semana que não como carne de boi!
Amanhã devemos ir na hidroelética daqui. Quer dizer, uma delas né... aqui são várias.
Um dos caras que levou a gnte no moto taxi trabalha lá e disse que consegue nos levar lá dentro. =)

A lan house aqui não tem como colocar fotos, mas assim que der eu coloco mais. Te outras fotos no orkut tb.

Nossa próxima parada deve ser no litoral. Ainda não sabemos exatamente onde, mas tamos achando esse sertão quente de mais. (dã =P)
beijos
e comentem!

Quando o grupo diminui




Esqueci de falar no outro post que o Pedrinho foi embora.
Por motivos de trabalho e familiares ele voltou pro Rio lá de Petrolina.
É ruim quando um grupo que já tá feito e equilibrado "perde" uma pessoa.
Ele tá fazendo falta.

sábado, 19 de janeiro de 2008

Petrolina - PE (2)

Ficamos alguns dias em Petrolina... encontramos várias figuras pelo caminho que quando tiver mais tempo descreverei.
Depois de Sobradinho, visitamos a Oficina dos artesões onde vários artesões locais trabalham em um galpão. Eles lá vendem suas peças onde comprei a carranca encomendade pelo meu irmão. =)
Também comemos carne de bode e purê de macaxeira. huuuum.... Todo mudno adorou.
Ainda em Petrolina fomos também na Ilha do Rodeadouro. Pegamos um ônibus e uma barca e: praia!
Primeira vez que entro em uma ilha fluvial. Muito bizarro: para todos os lados tem continente! Na ilha tem vários restaurantes de pexes, macaxeira, e claro, carne de bode. Comemos um peixinho por lá e ficamos pegando sol e nadando. Quer dizer, nadando na medida do possível já que a correnteza, se não segurasse, levava.

Pra sair de lá... ok, tinham cabras passando, cavalos, alguns carros. A van que era pra tá lá não tava e o ônibus só Deus sabia a hora que ia passar, então: carona.

video

quinta-feira, 17 de janeiro de 2008

Curiosidades

1- Ninguém aqui acredita no que estamos fazendo. Em cada lugar que chegamos acham que somos alguma coisa. Já perguntaram se a gente tava fugindo de casa, se tinhamos parente por aqui, se estavamos fazendo pesquisa sobre a transposição, se eramos crentes e estavamos pregando e até se éramos judeus. As última foram se somos missionários americanos (o melhor foi a justificativa: somos grandes) e se somos universitários. Até que enfim né?


2- No carnaval daqui só tocam 4 músicas:
"Quem é o gostosão daqui sou eu, sou eu, sou eu!" (Lembra mãe e Gilson?)
"A galera toda é massa, massa, massa..."
"Não vale mais chorar por ele, ele jamais te amou, jamais te amou..."
"Ela é problemática, ela é problemática!"



3- A distância entre Petrolina e Juazeiro é menos do que Rio-Niterói mas só por mudar de estado muita coisa muda. Por exemplo, do lado de Juazeiro na Bahia a festa é tão grande que a gente escuta dessa amrgem do Rio!

4- Os transportes mais usados por aqui é ônibus, à pé e moto. Em todas as cidades que fomos o que mais tem é moto taxi: 2 reais qualquer corrida! (calma mãe, eu não morri)


5- As coisas aqui são absurdamente baratas. Sabe a coca-cola de um real? aqui é 85 centavos. Água? 1 real. Água de coco? 1 real. Pastel grande? 1,50!

6- No nosso caminho tem aparecido alguns anjos. Quando não sabemos por onde ir, ou como ir sempre aparece algué pra nos levar, dar um telefone ou qualquer coisa do tipo pra chegarmos aonde queremos. =)

Sobradinho

Acordamos hoje e resolvemos ir até Sobradinho. Fomos até um posto de atendimento ao turista e... fechado. Tentamos obter informação com uns policias que disseram que era melhor pegar o ônibus pq era dia de semana. Pegamos o ônibus. 5,15 a passagem pq é intermunicipal. 1h de viagem. Nós quatro apagamos nos bancos até chegar em Sobradinho. A cidade em si não tem nada. Só a hidroelétrica.
Perguntamos para o motorista onde era melhor pra saltar e ele disse que naquele ponto mesmo mas que era longe. Ok. Saltamos exatamente no meio do nada. Perguntamos rpa moça que passava como faziamos e ela falou para pegarmos um moto taxi e inclusive nos deu o telefone de um.
As 4 motos chegaram e fomos pra hidroelétrica. E como aquele troço é gigantesco! Como era dia de semana não tinha visita guiada mas os próprios cara nos explicaram algumas coisas mesmo de longe.
Andamos um pouco mais e chegamos na parte que os barcos passam. O Tião, um dos caras que trabalha lá nos falou que dali a 30min ia chegar um barco e poderíamos ver as comportas abrindo, a onda passando e o barco entrando. Enquanto esperávamos ele nos contou um pouco da represa.



Por exemplo, apesar de estar em época de cheia a represa está com apenas 19% da sua capacidade. E isso já é muita água. Bizarro. Lembrei muito das aulas de geografia.
Saímos morrendo de fome da represa e os caras do moto taxi nos levaram em uma aventura de moto a um restaurante onde dava pra comer e mergulhar no Rio.
Primeiro mergulho no Rio são Francisco! =)





E mãe: comi piranha!! Fala pro Gilson! Ela tinha até cabeça! Mas a fome era tanta que eu não olhei pra ara dela e vam'bora! hhahahahaha









Vídeo da gente andando de moto depois de visitar a barragem de Sobradinho:



video

Petrolina - Juazeiro

Ontem a noite depois de entrar na net resolvemos ir até Juazeiro. Achamos a noite de Petrolina muito pouco movimentada e resolvemos atravessar o Rio.
A balsa leva cerca de 10 min pra travessar o rio e custa 80 centavos. Em ia de carnaval á 1 real. E descobrimos que ontem era dia de carnaval!
Quando chegamos em Juazeiro estava rolando mó festa na cidade: abertura do pré-carnaval de Juazeiro. Barraquinhas, Trio elétrico, etc. Ficamos até tarde por lá.

quarta-feira, 16 de janeiro de 2008

Petrolina - PE

De Petrolina ainda não posso falar muito. Chegamos ontem a noite. Só estou conseguindo postar por que tem um cyber um baixo do Hotel.
Hoje fomos na casa da Ana das Carrancas. É um velhinha que foi condecorada por vários prêmios como Patrimônio vivo de Petrolina. Ela faz carrancas de barro, tirei uma fotos e depois coloco aqui. Hoje em diz quem faz as carrancas são as filhas dela. ma delas iclusive foi quem nos atendeu.
Na porta da casa dela tem um olrelhão em forma de carranca:





Depois fomos no museu do Sertão ontem tem vários objeitos e fotos do sertanejo. Tem uma história bem curiosa: Um cara pegou uma reportagem sobre o Lampião, emoldurou e colocou na sala da sua casa. Depois de uma briga com a mulher que afirmava que o espírito do Lampião estava naquela notícia ele deu dois tiros no quadro. Depois disso ficou tudo bem (na noticia tá escrito bem assim, claro qeu lembrei de vc né Rô. hahaha).

Depois escrevo mais e quem sabe não coloco umas fotos. ;-)
Beijos com saudade
Luka

Pé na estrada - BA/PE

Foram mais muitas horas de ônibus. Saímos de Ibotirama às 7:30am e chegamos em Petrolina às 21h. Sendo que o ônibus era Goiânia Fortaleza!!
No ônibus tinha uma criança, João Marcelo, de 3 anos que passou as 13h falando. os outros 30 min dormindo. E como fala! a mãe disse que fala desdos 10 meses... disse isso com uma cara de despero!!
Na parada do almoço mudou o motorista. Todos sentando para voltar a viajar e poft. O ônibus bateu, 1h de atrazo.
Mas a viagem depois disso continuou bem.

Ibotirama - BA

Chegamos em Ibotirama segunda-feira dia 14.
Tentamos procurar uma pousada. A primeira tinha no letreiro: pneus e hotéis. Entramos e... vazia. Nem alguém pra chamar outro alguém pra dar informaçã. Nem hóspede! Ok... fomos embora. Na segunda tinah duas moças limpando mas não sabiam de nada também. Fomos para numa pousada e lanchonete. Dormimos os 4 em um quartinho com uma cama de casal e uma de solteiro. E como era quente essa cidade!!!
Neste dia mesmo vimos um belo pôr-do-sol da beira do Rio São Francisco.



Fomos pra lá na verdade tentar achar um barco para seguir a viagem até sobradinho. Mas desencorajaram tanto a gente... disseram tanto que eram muitos dias que desistimos. Passamos boa parte do dia lá perdidos... sem saber para onde riamos depois.
Fomos até a Rodoviária perguntar quanto era a passaem pra Salvador, Petrolina, e outros lugares que viessem na cabeça. Um cara chamado Enos resolveu nos informar de Petrolina. Ele, petrolinense e apaixonado pela cidade, nos fez ficar com o pé coçando de vontade de viajar. Falou que tinha passeio de barco, maracatu, carne de bode, carrancas, lendas, frevo... nos despedimos dele, trocamos telefone e fomos ver a passagem pra Petrolina.

Bom Jesus da Lapa - BA

Eu e Cecilia chegamos em Bom Jesus da Lapa meio dia do dia 12 de janeiro.
Mortas de fome apramos no primeiro restaurante que encontramos para comer. Cada uma pediu um pf que era mais que uma refeição inteira. De barriga cheia fomos procurar uma pousada para ficar.
Na rua da rodoviária e do restaurante, que era a rua principal de B.J. da Lapa tinham algumas pousadas. Entramos a primeira e ninguém na porta. Batemos palma e chegou uma pessoa. Pedimos informação e ela chamou outra pessoa para nos dar. E assim aconteceu nas 4 pousadas que olhamos. Na última, a Pousada Dallas fomos atendidas por duas moças muito simpáticas: Cida e Cláudia. Ambas tem histórias imprecionantes que penso em escrever aqui depois.
Passamos boa parte do resto da tarde dormindo de tão cansadas.
A noite fomos para o pré-carnaval de Bom Jesus! Trio elétrico, barraquinhas, shows da praça, axé, regge, arroxa e forró. o maior Hit é uma versão de um hiphop. Depois vou tentar colocar a letra aqui! Mto bom! hahahahhaa
No dia seguinte fomos ver a "Lapa". No meio da cidade tem uma montanha de pedra gigantesca. A cidade gira toda em torno na montanha de pedra. Lá dentro tem várias grutas com igrejas (!), imagens de santos e ex-votos (pra quem não sabe é um jeito de pagar promessa. Se a pessoa tem um problema da mão promente que se a mãe curar levará até a gruta de Bom jesus uma mãe de cêra. Então tem uma parte da gruta cheia de mão, pés, pernas, cabeças, troncos, cartas, fotos, muletas, santos, a escalação da seleção Brasileira de 94 e até uma bicicleta).



Pedrinho e Miguel chegaram umas 3h da tarde deste dia, 13 de janeiro, domingo. Vimos o pôr do sol do lado da gruta.




Depois de colocar o papo em dia: pré-carnaval novamente. E fizemos o maior sucesso! hahahahaha Empolgadissimos cantando as músicas da Ivete Sangalo no fundo da praça a menina que tava cantando parou o show pra perguntar da onde a gente era! hahahah Nos chamou pra gente e toda hora falava: Vamos lá Rio de Janeiro!!! hauahuahauhau
Divertidissimo!
Dormimos e no dia seguinte: Ibotirama.

On the road - MG/BA

Chegamos na rodoviária e olhamos a plataforma: PA. Logo, Plataforma A, certo?
Não. Depois de uma hora espeando (o ônibus era 19:30, e já era 20:30) resolvemos perguntar. Como a passagem estava escrito que era sujeito a atrazo não esquentamos tanto´... porém não era lá que se pegava esse ônibus. PA é Ponto de Apoio. E o tal ponto de apoio ficav bem longe da rodoviária! Pegamos carona em um outro ônibus da empresa e conseguimos chegar. Lá procuramos saber se o ônibus já tinha passado e disseram que ainda nem tinha chegado... beleza. Sentamos e esperamos. Um cara ouvindo a nossa conversa resolveu ajudar. E descobrimo que o nosso ônibus já estaa lá, mas não estava escrito Bom Jesus da Lapa, que era o nosso destino, e sim Santana!! E como íamos saber?! Mas tudo bem, conseguimos embarcar.
15 horas de estradas....


Belo Horizonte - MG

Primeira parada: BH
Eu e Cecilia saímos do Rio sexta-feira dia 11 de janeiro as 00:30 rumo BH.
Lá fomos recebidos com umcafé da manhã com os meus primos Leandro, Manu, Bruna e com a noivo da Bruna, Fernando.
Dormimos um pouco enquanto a Bruna via vestido de noiva, tão linda preparando tudo pro casamento em Julho.
Almoçamos no shopping e depois visitamos a tia Celeste e o tio Brasil, meus tios avós. Tia Celeste tá bem mal e pedia desculpas sempre por não conseguir conversar muito. Disse que queria ser alegre e brincar mas que não conseguia mais. triste de ver. Mãe, fala pra vovó que depois conto mais pra ela dos dois, tirei fotos também.
Comemos um cachorro-quente na casa das minhas primas e fomos pa Rodoviária.

quarta-feira, 9 de janeiro de 2008

Preparação




Usarei este blog para relatar a viagem que farei com mais três amigos para o Sertão da Bahia. Nós iremos nos encontrar em Bom Jesus da Lapa dia 13 de janeiro e a partir de lá começaremos nosso trajeto. A idéia inicial é descer o Rio São Francisco até Juazeiro e Petrolia. Ou quem sabe até Paulo Afonso. Tudo vai depender do tempo e do dinheiro que teremos até lá.
As cidades que estão marcadas no mapa são as que pretendemos passar maas... se o vento soprar pra um outro caminho, quem sabe?
Aliás também não sei se conseguirei atualizar isso aqui e por isso só o divulgarei se conseguir postar.

Partirei amanhã com a Cecilia até Belo Horizonte. Lá ficaremos na casa de alguns primos até o horário do nosso ônibus: 19:30. Nesta hora embarcaremos para Bom Jesus. Ficaremos um dia lá antes dos meninos chegarem (por que BH-Bom Jesus só tem às sextas feiras e o trabalho dos meninos em Carinhanha acaba sábado.).

A mochila já está quase pronta! =)

Só falta essa gripe melhorar... =/